Notícias - Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil - OFM

Antes da profissão, noviços recebem o hábito e fazem pedido à Fraternidade

09/01/2019

Notícias

Moacir Beggo

 Rodeio (SC) – Na véspera da Primeira Profissão no Noviciado São José de Rodeio (SC), os 17 noviços que professarão nesta quinta-feira (10/01) pela primeira vez os votos de pobreza, castidade e obediência nas mãos do Ministro Provincial, Frei César Külkamp, fizeram o pedido à Fraternidade do Noviciado para aceitá-los como irmãos. Depois desta pequena celebração, simples e muito simbólica, feita no refeitório do Convento, antes do jantar, às 19 horas, os noviços receberam o hábito franciscano que os acompanhará por toda a vida de Frade Menor, já que quando ingressaram no Noviciado receberam um hábito que não era o definitivo.

Este momento é muito significativo para o noviço, que espera ansiosamente para receber este hábito novo, feito sob medida para cada um dos 17 professandos. São eles: Frei Abel Ndala Sahuma Nganji; Frei Clementino Samuel Miguel; Frei David Vicente da Conceição Gaeita; Frei Daniel Maciel; Frei Francisco Teixeira Junior; Frei Franklin Matheus da Costa; Frei Gabriel Nogueira Alves; Frei Guilherme Plotegher Neto; Frei Josielio da Silva Oliveira; Frei Lucas Moreira Almeida; Frei Luís António Gungo; Frei Marcelo Tadeu da Silva Cardoso; Frei Roberto Rocha da Silva; Frei Sérgio Hide Honna; Frei Thierry Melo de Paula; Frei Yves da Costa Bernardes Leite; e Frei Valódia João Manuel Baptista Manuel.

O guardião do Convento, Frei José Antônio Cruz Duarte, presidiu este momento celebrativo e perguntou aos noviços: “Caríssimos, qual o vosso desejo?”

E todos, juntos, responderam: “Caríssimos em Cristo, rogo-vos pelo amor de Deus, da Bem-aventurada Virgem Maria, de nosso Pai São Francisco e de todos os Santos, admitir-me à Profissão dos votos temporários, para fazer penitência, emendar a minha vida, e servir a Deus com fidelidade até à morte. E ao mesmo tempo, peço perdão de todas as minha negligências e faltas que cometi durante o ano de noviciado. Declaro e protesto estar ciente das obrigações que me impõem os votos e a santa Regra, e prometo observá-los fielmente. Finalmente, solicito as orações desta Fraternidade, pela minha perseverança na vocação”.

Antes de abençoar os hábitos e entregá-los aos noviços, Frei José dirigiu algumas palavras aos noviços, lembrando que estavam apenas encerrando uma etapa, que eles ainda têm outras pela frente. “Não significa que encerramos todo o caminho. Nesse momento, nós avançamos mais para o horizonte, demos alguns passos em direção ao horizonte. Mas o horizonte sempre vai um pouco mais à frente”, admoestou, frisando para não perderem de vista este horizonte, ou como diz Santa Clara de Assis, não perderem o ponto de partida. “É sempre necessário estar olhando para este horizonte, que é Jesus. É o sol nascente. É a vida sem o ocaso. Não tem o pôr do sol na vida de Jesus. E nós, franciscanos, nos miramos nesse Jesus, pobre e crucificado”, ensinou.

Para o guardião, que está de mudança para a Fraternidade São Boaventura, em Rondinha, junto com o mestre Frei Samuel, virão outras etapas. “Estaremos sempre caminhando. E quando chegarmos ao final de nossa existência, poderemos dizer, ainda mais uma vez: ‘Vamos recomeçar!’, porque o horizonte sempre continua em frente. É isso que se chama utopia. Mas utopia não significa algo nunca realizável e, sim, algo sempre a ser buscado. Não podemos nunca deixar de buscar”, insistiu.

Disse que, como guardião da Fraternidade de Rodeio, perdoava “todas as culpas e negligências” conforme pediram , porém, como diz Jesus, exortou-os a não voltarem a cometê-los outra vez, porque, se nós reconhecemos que erramos, temos que estar sempre nesse esforço de não mais pecar, de não mais de cometer negligências.

Por último, deixou uma mensagem: “Esta fórmula que disseram agora não deve ser somente uma fórmula. ‘Faz parte do show!’, podemos dizer. “Show da fé” é só com o RR Soares (referindo-se ao programa do pastor neopetencostal). Nós não temos show da fé. Nós temos comprometimento com a fé, comprometimento com Jesus Cristo. E, por isso, a nossa vida não é um show. A nossa vida é compromisso; é agarrar para valer! As palavras de hoje, de amanhã e toda a nossa vida devem ser palavras carregadas de força, de sentido. Não pode ser apenas uma palavra porque está prevista no rito”, disse, indicando o liturgista Frei Marcos Andrade,  profundo conhecedor desta área, para confirmar isso. “O rito atualiza o mito. O rito torna presente aquilo que buscamos e esperamos. O rito traz para a presença o horizonte que buscamos. Por isso, não devemos fazer o rito pelo rito”, completou, pedindo a Deus a bênção sobre cada um dos noviços. Em seguida, Frei José abençoou os hábitos e voltou a recomendar: “Esses hábitos serão a roupa-sinal da consagração de nosso compromisso, de nosso serviço”.

O mestre Frei Samuel chamou um por um dos noviços para entregar o definitivo hábito marrom, enquanto os noviços cantaram: “Importa viver Senhor, unidos no amor, na participação, vivendo em comunhão”.

Frei José encerrou a celebração com a bênção de São Francisco, “aquela que nos faz mais irmãos”, finalizou.


VEJA MAIS IMAGENS DESTA CELEBRAÇÃO!